Instrutores da Escola de Equitação SHP chegam ao 3º módulo de treinamento com José Cabral e Luiza Khodr

Entre 30/1 e 1/2, a Escola de Equitação da Sociedade Hípica Paulista (SHP) volta a receber José Cabral Neto e Luiza Khodr que recém ganharam o Prêmio “The Winner Awards” por sua atuação e metodologia de ensino em Escolas de Equitação. Essa já é a terceira que vez que a bem sucedida dupla, que atua na Escola de Sociedade Hípica de Brasília e região, vem à Hípica Paulista visando a formação e reciclagem dos instrutores da casa.

“No primeiro curso (janeiro 2017) a ideia era introduzir uma forma didática de melhorar a aula e fazer os exercícios. Nesse segundo módulo trouxemos mais exercícios e tivemos um treinamento de como o nosso método vem sendo aplicado”, destacou, após o segundo curso em julho de 2017, José Cabral Neto, cavaleiro e treinador de diversas gerações de bem-sucedidos cavaleiros e amazonas em pistas nacionais e internacionais.

José Cabral Neto e Luiza Khodr a postos no 2º curso na Escola de Equitação SHP em julho de 2017

“Trabalhamos juntos há cerca de 15 anos, conheço o Cabral desde os meus sete anos de idade”, contou Luiza, diretora da Escola de Equitação da Sociedade Hípica de Brasília, instrutora de equitação, graduada em gestão de recursos humanos e especialização em Coaching e Programação Neurolinguística. “Acho que a Escola é a base do esporte. Já montei profissionalmente, mas agora meu objetivo é captar cada vez mais alunos para começar a conhecer o esporte, formar cavaleiros de qualidade e que entendam de cavalo. A gente tem se dedicado muito ao treinamento de equipe, ensinar os professores e como dar uma boa aula. Levei minha carreira para especialidade Escolas.”

E conforme planejado na virada do mês de janeiro para fevereiro de 2018, Cabral e Luiza retornam a SHP para uma reciclagem que visa avaliar como a equipe de professores da Escola assimilou os ensinamentos. A dupla deve auxiliar os instrutores em momento real durante as aulas. “A gente só aprende repetindo, repetindo e treinando. O atleta tem que treinar para ser bom e o professor treinar o conhecimento e firmá-lo cada vez mais”, explica Cabral, que também comentou sua receita particular de sucesso. “Uma vez me perguntaram porque você tem tanto aluno bom. Primeiro fiquei até com dúvida, mas acredito, com certeza, que o treinamento leva eles a ficarem bons.”

Professores da Escola de Equitação SHP no 1º curso com José Cabral e Luiza Khodr em janeiro de 2017

Na SHP alguns ex-alunos de Cabral vem se firmando em ambito profissional como André Nascimento, Gabriel Gabriel Gouveia e Bernardo Albuquerque. Lula Piaulyino, campeão sul americano young riders, Vitor Gonçalves, campeão sul americano mirim, Kitaro Baldaia, hoje em atividad na Europa, Thiago Rhavy, hoje parceiro de Cabral em seu manège estão entre os cavaleiros formados por Cabral. “Eram crianças e hoje são amigos. Tenho grande orgulho de ter ajudado na vida de alguém, encaminhado para uma profissão. As outras coisas vem em 2º lugar, acho que resultado é consequência. Ele vem desde que a gente trabalhe direito, faças as coisas com honestidade, corretamente, dedicação e respeito ao cavalo como primeiro opção. O meu orgulho é contribuir para formar não somente pessoas boas em cima do cavalo, mas também fora da pistas.”

A cada ano são inúmeras as clínicas de hipismo ministradas por renomados profissionais. “De modo geral as clínicas são muito voltadas ao desenvolvimento técnico do cavaleiro. Já nossa proposta nos cursos para instrutores não é aperfeiçoar a técnica em cima do cavalo e sim entender melhor as dificuldades dos nossos alunos. O que eles esperam, gostam e melhor a didática para que as aulas sejam cada vez mais interessantes, produtivas para que os alunos fiquem mais tempo na Escola e tenham vontade de continuar no esporte, comprem o seu cavalo e participem de competições. A gente quer ver o esporte crescendo forte”, garante Cabral.

O treinador também comentou o embasamento técnico de instrutores. “A gente busca suprir algumas lacunas com palestras. Os professores de escola são super importantes. Eu costumo dizer que não devemos usar a palavra Escolinha, mas Escola que é porta de entrada para o esporte. Se você começa errado pode até melhorar depois, resolver, mas a escola é a base e existe sem um Grande Prêmio, mas talvez o Grande Prêmio deixe de existir sem as escolas. Aqui na SHP os professores estão provando que querem se esmerar, melhorar. Todo mundo participou, prestou antenção, estamos muitos felizes em fazer esse trabalho pioneiro de qualificação de instrutores.”

Cabral também abordou a relativa diminuição de participantes em Campeonatos Estaduais e Brasileiros na categoria mini-mirim. “Montar a cavalo é seguro desde que você faça da forma correta. A primeira coisa é segurança dos nossos alunos, depois vem a equitação e a competição porque ela vai acontecer naturalmente. Se você respeitar a segurança e o cavalo, você tem mais tempo. Então quando as crianças chegam a competição estão mais mais preparadas. Se hoje temos poucos mini-mirins, a gente tem que pensar que vai ter 50 amanhã. Eu já participei de Campeonatos da categoria mini-mirim com mais de 100 participantes. Então a minha opinião é que se a gente plantar essa semente na escola vamos colher frutos muito bons depois.”

Finalmente, Cabral também comentou o tom de um professor de equitação que principalmente no passado era conhecido por sua rigidez, geralmente atribuída à herança dos militares pioneiros no hipismo brasileiro. “A primeira coisa é que a gente trabalha pessoas e elas são diferentes e precisamos conhecê-las. Você conhece seu aluno, qual a facilidade e que pontos tem a melhorar. Alguns dizem: Cabral você tem que brigar comigo, outros choram.. Tudo é uma questão de equilíbrio. Acho que a gente tem que ser firme, gentil, mas também não pode ser um carrasco. Eu costumo falar que eu não tenho cliente montando a cavalo, tenho alunos. Cliente tem razão, alunos não, pois querem aprender. Clientes podem ser pais, o dono de um cavalo, mas acho que quando a gente se propõe a ensinar podemos ser gentis mas é preciso tomar conta da situação, saber se impor sem ser grosseiro. Equilíbrio é a melhor receita para quem dá aula ter sucesso.”

 

Fonte: SHP – C.May

carolaInstrutores da Escola de Equitação SHP chegam ao 3º módulo de treinamento com José Cabral e Luiza Khodr